Tecnologia Israelense contra o crime

postado em: Notícias | 0

Empresa israelense lança sistema para investigar indivíduos na nuvem e em redes sociais. A tecnologia também extrai registros de celulares e já foi usada para reconstituir vídeos apagados em celular do pai de Bernardo Boldrini, garoto assassinado no RS em 2014.

A Cellebrite, empresa israelense líder em tecnologias para a investigação de provas em dispositivos móveis, irá apresentar na feira internacional de segurança e defesa LAAD 2015 (de 14 a 17 de Abril no Riocentro), um novo sistema capaz de varrer os serviços em nuvem das operadoras e prestadores de serviços para localizar pistas capazes de provar o envolvimento de suspeitos em casos criminais. Batizada de UFED Cloud Analyzer, a nova tecnologia quebra proteções e bloqueios, como senha e criptografia, e é capaz de identificar até mesmo postagens anônimas, perfis verdadeiros ou falsos em redes sociais e contas de webmail abertas pelo proprietário de um smartphone ou tablet.

A nova tecnologia também vasculha os eventuais vínculos do suspeito com outras pessoas investigadas (ou com a vítima), através da varredura em trocas de mensagens ou ligações, arquivos de áudio e vídeo guardados em redes sociais ou sites na nuvem e até pela localização GPS em dia hora definidos pelo investigador. De forma fácil e rápida, o investigador ou examinador profissional é capaz de varrer toda a vida virtual de um ou vários indivíduos e elucidar informações como falsos álibis, relacionamentos sociais, hábitos de deslocamento e locais visitados pela vítima ou suspeito. Durante a LAAD, a Cellebrite também apresenta a sua solução de investigação em dispositivos móveis e em nuvem na forma de um Quiosque, próprio para ser instalado em delegacias, postos de fronteira e pontos de revista e fiscalização em geral.

Fonte: Pletz